Próximo Passo: Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica!

Após passar por projetos-piloto, a Nota Fiscal de Consumidor Eletrônica (NFC-e) será apresentada na cerimônia nacional de lançamento no dia 18 de novembro em Porto Alegre (RS)

O consumidor terá todos os comprovantes sem precisar guardar notas em papel. Pode receber o NFC-e por e-mail, mensagem SMS ou checar pelo smartphone ou tablet através do QR Code na versão reduzida emitida pela loja.

Durante a implementação do NFC-e, será permitida a utilização do cupom fiscal até a adequação. A previsão é que em 5 anos todos os estados estejam em pleno funcionamento

Entre os principais benefícios para as empresas, estão a flexibilidade e a redução de custos. Com a NFC-e, é possível abrir frentes de caixa conforme o movimento de clientes, já que o mecanismo dispensa o uso de impressora fiscal, diminuindo os gastos em hardware, requeridos principalmente em períodos de pico, como o Natal. Uma das primeiras empresas a usar a tecnologia no País, testou a opção foi pelo formato mobile, com utilização de equipamentos como tablets e smartphones. O mesmo profissional que faz a venda já recebe o pagamento e emite a nota fiscal, facilitando a vida do consumidor.
A transmissão dos documentos as Fisco pela internet reduzirá a sonegação fiscal e aumentará a segurança, já que toda transação deverá ser autorizada pela Secretaria da Fazenda de cada Estado em tempo real. Hoje, os fiscos estaduais recebem os dados referentes aos cupons fiscais até quatro meses depois da sua emissão. O cidadão, além da compra simplificada, terá a facilidade de acesso aos documentos fiscais, que ficarão arquivados, de forma eletrônica, no site da Secretaria da Fazenda.

O documento contém um campo específico destinado ao código de barras dos produtos, o chamado GTIN (sigla em inglês para Número Global de Item Comercial), que é a série padronizada de números que identifica o produto.

A empresa GS1 Brasil padroniza essa numeração e também a formatação do código de barras. O GTIN facilita a gestão de estoque de produtos, rastreabilidade e estimula a automação na cadeia de suprimentos, além de ser um facilitador na captura dos dados dos produtos para o início do faturamento e emissão da NFC-e. O processo de emissão de uma NFC-e tem início com a leitura do código de barras da mercadoria a ser comercializada, possibilitando ao aplicativo comercial a identificação do produto e o preenchimento no arquivo eletrônico da NFC-e das informações comerciais e fiscais correspondentes do item.

A Titan Software se mantém presente em grupos de discussão e implementação, com o compromisso de acompanhar as melhores práticas do varejo, garantindo aos nossos clientes uma solução pronta para se adequar as novas tecnologias.

Add a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *