Precisa de ajuda?

11 4191-9848

Como evitar que a ruptura afete o lucro da loja?

A matéria a seguir trata de um tema recorrente e bastante delicado no varejo: a ruptura.

Quando o consumidor não encontra o que procura na gôndola e faz a substituição por outro produto de menor margem, o supermercado perde lucratividade. Se o cliente deixar a loja para comprar a mercadoria em outro estabelecimento, o prejuízo é certo. Além do prejuízo financeiro temos ainda a questão da imagem que fica arranhada perante o cliente… Problemas na entrega e falta de automatização da retaguarda, dificultando o controle de estoque, são alguns fatores que explicam os altos índices de ruptura em algumas redes.

Os dados precisam estar ao alcance

Para evitar o problema, um primeiro passo é identificar os itens que estão em falta nas gôndolas. Isso pode ser feito de maneira simples: o operador de caixa pergunta ao cliente se encontrou tudo o que queria, ou o próprio consumidor anota em uma caderneta, disponível nos corredores, os produtos não encontrados.

O ideal é contar com um software de gestão integrada, que cruza e processa os dados de frente de caixa, retaguarda e compras. Com esse sistema, é possível calcular adequadamente a quantidade de compras de cada SKU, evitando faltas ou até excesso de estoque. Neste caso, a ferramenta TITAN está completamente apta a atendê-lo no que há de mais avançado no controle de estoque, informando em tempo real a situação do mesmo onde quer que o gestor esteja.

Integrar dados com seus parceiros de negócio é fundamental, porém, não é suficiente. A simples integração não garante que os dados transacionados sejam acurados. Para isso, é necessário sincronizar dados, de modo que comprador e fornecedor trabalhem sempre com as mesmas informações e que estas sejam confiáveis e estejam dentro de padrões utilizados globalmente. Só assim será possível reduzir efetivamente os atrasos de entrega, devoluções, cancelamento de pedidos, litígios entre comprador e fornecedor, dentre outros problemas que geram rupturas e, consequentemente, perda de vendas.

A sincronização de dados gera resultados expressivos e é por isso que o retorno sobre o investimento de um projeto é atingido em curto prazo. Apesar dos ganhos significativos em eficiência operacional e redução de custos já justificarem o projeto, o maior benefício é o aumento das vendas gerado pela maior disponibilidade de itens na gôndola. Prova disso é uma pesquisa realizada pela GS1 que, baseada em projetos globais de sincronização, aponta uma redução média da ruptura de estoques de 8% para 3%. Já pensou o quanto isso pode representar para a sua empresa?

Plano de ação

Outra medida é verificar com a equipe as causas da ruptura. Nem sempre as razões são as mesmas para todas as categorias. Defina soluções e trace um plano de ação.

Você pode adotar as seguintes ações:

  • passe a fazer os pedidos com base no histórico de vendas dos últimos meses, sempre calculando um estoque de segurança.
  • a empresa deve contar com um processo de recebimento, no qual um funcionário checa se o pedido foi entregue ou se falta algum item.
  • odepósito e o centro de distribuição precisam estar sempre bem organizados
  • é necessário realizar inventários periódicos para confirmar se a quantidade de produtos registrada no sistema coincide com o estoque físico.

Em uma grande rede da Grande São Paulo, quem entra nas lojas pelo acesso dos colaboradores, logo vê um quadro com dados sobre a evolução da ruptura dos itens formadores de opinião (aqueles de maior giro). Tudo apresentado em forma de gráficos, mostrando o índice geral e o das diferentes famílias de produtos. O gerente da unidade, orgulha-se dos resultados. Pouco mais de um ano atrás, o índice de faltas atingia 6%. Hoje, está em 3%. Dos 300 itens analisados faltam nas prateleiras apenas 9. A queda da ruptura ajudou a filial a subir no ranking das melhores lojas da rede. Até implementar as ações (entre outras), a unidade era lanterninha no ranking. No ano passado, tornou-se a vice-líder.

Tecnologia , Gestão e inovação irão contribuir com a redução das rupturas. Seus principais benefícios serão: redução de estoques, à medida que o gerenciamento dos produtos permite a reposição calculada sobre o consumo, firmando-se alianças estratégicas entre fornecedores e clientes; aumento de vendas devido ao monitoramento constante do consumo e planejamento pré-acordado para a rápida reposição por parte do fornecedor; valorização dos profissionais de compras e vendas, quando estes assumem a função de estrategistas de negócios; agilidade no processo, porque grandes volumes de dados comerciais podem ser comunicados de um computador a outro em questão de minutos, permitindo, por exemplo, reduzir prazos de entrega e garantindo maior satisfação por parte do cliente; e aumento da produtividade no varejo. A Solução TITAN permite que haja melhor controle das necessidades de compras e entregas. Com a habilidade de venda acrescida à correta utilização da tecnologia, o varejo cresce e leva satisfação ao consumidor.

Fonte: Revista Supermercado Moderno, Supply Chain MIX, Baguete

Receba um atendimento consultivo de um de nossos especialistas

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

MAIS DICAS PARA VOCÊ

Esses artigos podem lhe interessar

image

O que é fluxo de caixa e como ele pode ajudar sua empresa 

Você sabe o que é fluxo de caixa? Em um mundo empresarial, saber gerenciar as finanças é um dos pontos mais importantes para se manter no mercado e crescer.   Nesse…
image

Integrações para supermercado: conheça as principais

Você sabe o que são Integrações para supermercado? Em um mercado cada vez mais competitivo, os supermercados precisam estar preparados para atender às demandas dos clientes e oferecer uma experiência…
image

Metas de venda: Por que são importantes para seu supermercado  

As metas de venda sempre estiveram presente nas empresas em geral, por ajudar a aumentar as vendas e a melhorar diversos pontos importantes, nesse mesmo sentido a definição de metas…